segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Caco Velho (Ary Barroso)

Um dos mais belos sambas do Ary Barroso. Escolhi a versão cantada pela Aracy de Almeida, de 1958, mas esse samba foi gravado originalmente por Orlando Silva em 1934. Também foi gravado por Ataulfo Alves em 1966, pelo Paulinho da Viola e por Elisinha Coelho.


Reside no subúrbio do Encantado
Num barracão abandonado
João de tal, cabra falado.
Dizem que viveu fora da lei, foi um rei
Que zombava da morte e tinha um santo forte
No meio da gente bamba o seu prazer era tirar um samba
Pulava, dava rasteira, levava a vida de qualquer maneira

Mas hoje é um caco velho que não vale nada
Tem a cabeça branca e a pele encarquilhada
Faz até pena ver o seu estado, pobre coitado
A vida é essa, é um segundo que se esvai depressa
Todos nós temos o nosso momento
E depois dele só o esquecimento


.

Nenhum comentário: