terça-feira, 3 de abril de 2012

Bambas do Estácio: Ismael Silva 78 rpm

Ismael Silva. Foto: Walter Firmo
Nascido em Niterói em 14/09/1905, Ismael Silva é um dos nomes mais conhecidos daquela turma que fez miséria no bairro do Estácio de Sá entre o final dos anos 20 e início dos anos 30. Ao lado de bambas como Bide, Marçal, Mano Edgar e Mano Rubens fundou a primeira Escola de Samba e foi um senhor compositor. Compunha com o parceiro Nilton Bastos e logo o cantor Francisco Alves se interessou em gravar seus sambas, mas com a condição de seu nome entrar nas parcerias.  Bom pro Chico Viola e bom pra Turma do Estácio, que ganhou espaço nas rádios. Daí foi sucesso atrás de sucesso: "Me faz carinhos", "Amor de Malandro", "Se você jurar", "Nem é bom falar"...

Com a morte do parceiro Nilton Bastos e de Mano Edgar e Deixa Falar se desfaz (aliás, nunca chegou a desfilar como Escola de Samba) e Ismael se mudou pro centro do Rio. Manteve a parceria com Francisco Alves e começou a compor com Noel Rosa. Seus sambas já ganhavam o gosto popular e eram gravados por uma legião de cantores, como Patrício Teixeira, Mário Reis, Ciro Monteiro... Em 1935 rompeu definitivamente seu acordo com Francisco Alves.


Também em 1935, deu dois tiros em um outro malandro que desrespeitou sua irmã... Acabou preso em flagrante e cumpriu 3 anos de cadeia. E mesmo assim, seus sambas continuavam sendo gravados e fazendo sucesso. Enquanto estava preso, Mário Reis gravou "Você merece muito mais" e Aurora Miranda gravou "Não apoiado".

Ismael passou a década de 1940 afastado da musica e em 1950 voltou com um grande sucesso, o samba "Antonico", inspirado em uma carta de Pixinguinha que pedia a um amigo influente um emprego para um sambista em dificuldade. Participou de diversos espetáculos como "O samba nasce no coração" (1955) ao lado de João da Baiana, Pixinguinha, Ataulfo Alves, Donga e J. Cascata;  o clássico "O Samba Pede Passagem" (1965) ao lado de Aracy de Almeida e do show "Se você jurar" (1975), apresentado ao lado de Carmem Costa.

J. Cascata, Donga, Ataulfo Alves, Pixinguinha, João da Baiana e Alfredinho - "O Samba Nasce no Coração"

Ismael morreu em 1978 e deixou uma obra de mais de uma centena de sambas e marchas. Reuni em uma coletânea alguns desses sambas, 44 ao todo:


Acompanha encarte com letras e informações sobre as musicas
O 4 shared está pedindo para fazer login antes de baixar os arquivos:
Login: blogreceitadesamba@yahoo.com.br
Senha: samba2012




.

2 comentários:

rosalia vale disse...

felicidade é encontrar seu blog! muito grata pela sua generosidade de compartilhar estas coisas tão preciosas!

Antonioj disse...

É uma privilégio poder viajar pela história da música popular, ouvindo essas preciosidades. Obrigado por tão belo serviço a história da abençoada música popular brasileira.