sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Boas Festas...

Assis Valente (à direita) ao lado de Dorival Caymmi e Carmem Miranda
Aproveito a véspera de natal para reparar uma injustiça... Esse ano um outro grande compositor completaria seu centenário e eu nem sequer o mencionei aqui: o baiano Assis Valente. Assis escreveu em uma noite de natal, sozinho num quarto de hotel, a marcha "Boas Festas" que acabou virando uma espécie de hino natalino...  Uma canção que, mesmo com versos tão fortes e tristes, tem uma melodia tão alegre que encobre qualquer sinal de tristeza de seus versos.

Boas Festas (Assis Valente)
Intérprete: Carlos Galhardo, 1933


Anoiteceu, o sino gemeu
E a gente ficou feliz a rezar
Papai Noel, vê se você tem
A felicidade pra você me dar

Eu pensei que todo mundo
Fosse filho de Papai Noel
E assim felicidade
Eu pensei que fosse uma
Brincadeira de papel

Já faz tempo que eu pedi
Mas o meu Papai Noel não vem
Com certeza já morreu
Ou então felicidade
É brinquedo que não tem 

Assis Valente, que contava ter nascido em plena areia quente em uma estrada no interior da Bahia durante uma viagem teve uma vida difícil, a começar pela infância. Era filho de um relacionamento extraconjugal e apesar de ter sido registrado (o nome Valente vem do pai) não conviveu com seu pai. Ainda pequeno, vivendo com a mãe em uma pequena cidade do interior da Bahia, foi raptado e entregue a outra família que o criou até cerca de 10 anos de idade. Depois de algum tempo foi encontrado pela mãe, mas se recusou a viver com ela, indo morar com um tio que era dentista. Foi do tio que herdou a profissão de protético, mudando-se para o Rio de Janeiro em 1927.

Durante a década de 30 tornou-se um grande compositor, incentivado pelo amigo Heitor dos Prazeres. E mostrou que tinha talento compondo sambas históricos como Camisa Listrada e Brasil Pandeiro, este último composto para Carmem Miranda, que não gostou da musica deixando Assis Valente desolado. Acabou sendo gravado pelos Anjos do Inferno e tornou-se um enorme sucesso. Mas sua obra vai muito além. Assis deixou mais de 150 canções, registradas nas vozes de grandes cantores como Aracy de Almeida, Carmem Miranda, Carlos Galhardo, Francisco Alves, Moreira da Silva e muitos outros. Fico devendo a vocês uma coletânea com algumas brasas do Assis!

Alegria 
Assis Valente e Durval Maia
Intérprete: Orlando Silva, 1937


Assis sofria de uma grave depressão e tentou o suicídio três vezes. Da primeira vez surpreendeu a todos jogando-se do alto do Corcovado. Milagrosamente ficou preso a uma árvore e foi salvo eplo corpo de bombeiros. Mas a partir daí nunca mais foi o mesmo. Seu nome foi caindo no esquecimento, já não conseguia mais gravar seus sambas, as dividas iam crescendo...

Na manhã do dia 10 de março de 1958 saiu de casa, sentou-se em um banco da Praia do Russel, junto a um playground onde algumas crianças brincavam. Alí, a uma semana de completar 47 anos, finalmente consegui tirar a própria vida bebendo guaraná com formicida. Em uma carta encontrada em seu bolso, Assis Valente dizia que "morria por sua vontade" pois estava endividado e fazia um pedido para que o amigo Ary Barroso pagasse seu aluguel atrasado. Terminou a carta com a frase "vou parar de escrever pois estou chorando de saudades do todos e de tudo"...

Assistam a um curta metragem feito em homenagem ao centenário de Assis Valente e de Nélson Cavaquinho. 




.

Nenhum comentário: