quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Cachaça com Arnica lança CD nessa sexta em BH


O disco consolida a trajetória de 12 anos do grupo

Grupo de samba e choro, o Cachaça com Arnica apresenta para o público o primeiro trabalho autoral, na sexta-feira, 11 de novembro, no Gamboa, na Savassi. O show terá início às 21h, com ingressos a R$ 15,00 (feminino) e R$25,00 (masculino). Além das músicas de própria autoria, no cardápio do espetáculo, músicas de João Nogueira, Cartola, Noel Rosa, Dona Ivone Lara, Adoniran Barbosa, Pixinguinha, entre outros.

Para o vocalista, flautista e violonista Márcio Lima, a contribuição dos ex-integrantes foi essencial para o grupo alcançar o sucesso de hoje. “Tenho plena consciência que nada na vida se constrói sozinho. E a maior prova disso, para mim, é a imensa contribuição da família Cachaça com Arnica, no propósito de levar ao público um trabalho musical sincero e que nos orgulha de ser mineiros”, declara Márcio. Para Pirulito da Vila, compositor e percussionista, o Cachaça com Arnica é uma escola: “Um grupo que se mantém há 12 anos com um nível musical e cultural como este não pode ser considerado um grupo qualquer”.

Samba da Roça

O disco, patrocinado pela VDL Siderurgia por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, foi gravado em abril deste ano e tem 11 faixas que abordam vários temas. Entre as músicas, estão: O tombo da tia Lilia, primeira música de trabalho do grupo; Breque do Péia, que conta o causo dos carros do pandeirista e que vai ganhar videoclipe; Samba dentro de mim, que é parte da paixão pelo samba; Firvi de raiva, uma sátira ao caso do empresário Thales Emanuelle Maioline, o Madoff mineiro, que, em julho de 2010, desapareceu com R$86,1 milhões de um clube de investimentos, intitulado FIRV; Mercearia Paraopeba, que fala sobre um empório minério que vende de tudo; Cachaça com Arnica, chorinho com participação especial de Francisco Bastos tocando violão tenor – instrumento pouco conhecido, por não ser usual a sua utilização. “Um CD é o cartão postal de qualquer artista e nós do Cachaça com Arnica tivemos um cuidado especial, pois ele conta uma história de 12 anos”, comenta Pirulito da Vila.

O projeto tem a direção musical de Francisco Bastos, arranjos de Márcio Lima, produção de Gilson Fernandes Antunes Martins, arte gráfica de Rafael Bastos e Fernando César, como técnico de gravação, mixagem e masterização.




.

Nenhum comentário: