sexta-feira, 29 de julho de 2011

É Batucada entrevista Tuco

Tuco (Fernando Pellegrino)
Mais uma edição do ótimo "É Batucada", programa apresentado pelo Edinho do Terreiro de Mauá. Dessa vez o entrevistado é o Tuco, que quem frequenta o blog já conhece... Transcrevo a postagem do Edinho na integra, pelas belas palavras, mas recomendo fortemente uma visita ao blog do É Batucada pra conferir as edições anteriores!

Parabéns ao Edinho pelo programa, tá muito legal! E salve Tuco, seu batalhão e toda essa turma que vem lutando pelo samba, sempre com muito amor e respeito!


Fernando Pellegrino, conhecido nas rodas de samba como Tuco. Figura de grande importância no atual cenário do samba de São Paulo, e (por que não?) do Brasil. Compositor e "crooner". Suas composições, crônicas contemporâneas carregadas de influências dos grandes mestres da história do samba. Sua voz, marcante, faz com que relembremos dos potentes cantores (Jamelão detestava o termo "puxador") das Escolas de Samba de outrora como Ventura, João da Gente e o próprio mangueirense acima citado.

Sua história reserva passagens importantes, verdadeiras aulas de cidadania, que transcendem o mundo do samba, no Morro das Pedras e no Terreiro Grande. Com o Batalhão de Sambistas, voltou a apresentar ao público uma formação de palco, com um "crooner" ladeado pelos instrumentistas. Sob a batuta de mestres como Nelson Sargento, Monarco e Roberto Silva, o maior dos cantores, o "Príncipe do Samba", que, com 90 anos, aprovou o jovem talento.

"Talvez eu seja o valor que o amigo citou, com o mesmo sangue nas veias?" "É". A resposta foi do próprio Nelson Sargento, o valor em questão, citado por Cartola.

Tuco não está para brincadeira. De um ano pra cá, desde a gravação do disco "Peso é peso", passou a dar mais valor a suas composições, inclusive cantando-as mais nas rodas de samba. Já o repertório de brasas do samba de terreiro e da Era de Ouro do Rádio continuam na ponta da língua.

Nesta edição do Programa É Batucada, Tuco fala sobre sua trajetória, suas canções, suas lutas e seus projetos futuros. Que este "Peso é Peso", seja só o início de uma brilhante trajetória. E que esta entrevista seja a primeira de muitas de uma estrela nascente.

Parte 1


.

2 comentários:

João Patrício disse...

Estão aí dois grandes nomes da atualidade.
Um (Tuco) com seu belo gogó e resgatando muitas pérolas (de muito bom gosto) para nós amantes deste ritmo brasileiro. E o outro com sua atuação polivalente no samba, pois além de conduzir a bela roda do Terreiro de Mauá, também compõe e agora com esta bela empreitada com o É Batucada. Dois exemplos aí de pessoas que realmente contribuem para que o samba se mantenha vivo.
Parabéns Tuco e Edinho. Seus nomes já estão gravados na história do Samba.

Pele de Gato disse...

Gosto muito do Tuco desde o Terreiro Grande, porém ele cometeu um Grande erro pois no Rio de Janeiro existem muitos movimentos(rodas de samba)que a referência são os sambas mais antigos,posso citar alguns....Samba do Buraco do Galo(Oswaldo Cruz), Samba da Feira da Glória(Glória),Samba do Ouvidor(Centro antigo),Samba do Chapéu(Santa Tereza),Terreiro de Breque(Paquetá).....e vários outros sei que deve ter sido um esquecimento pois ele conhece bem o Samba do Ouvidor, quando ele vier ao RJ recomendo O Samba do Buraco do Galo onde se toca o verdadeiro Samba chamado hoje de Raiz.
Um Save ao Tuco.