sexta-feira, 10 de junho de 2011

Alvarenga, o Samba Falado...

Ernani Alvarenga
Há exatos 97 anos nascia Ernani Alvarenga, o Alvarenga da Portela, também conhecido pela alcunha de O Samba Falado", é um compositor sempre lembrado por companheiros de samba em suas histórias sobre os tempos de ouro da Portela.

Alvarenga nasceu em 1914 na cidade de São Paulo, na Barra Funda, bairro com grande tradição no universo do samba paulista. Mas foi no Rio de Janeiro, cidade para onde se mudou aos quatro anos de indade, que Alvarenga conheceu o samba. Chegando lá foi morar em Oswaldo Cruz a anos mais tarde aprendeu a tocar cavaquinho e dizem que aos treze anos já tocava em um regional e arriscava as primeira composições.

Em 1926 entrou para o bloco carnavalesco Conjunto de Oswaldo Cruz, liderado por Paulo da Portela, Antônio Caetano e Antônio Rufino. Anos mais tarde o bloco mudou de nome para Vai Como Pode e logo depois deu origem ao Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela.

Sobre ele achei muito pouca informação. O dicionário Cravo Albin diz que ele integrou a Velha Guarda da Portela tocando cavaquinho e cantando. Entretanto seu nome não consta nos discos da VGP nem no livro do João Baptista Vargens. Foto, só essa miudinha...

A data da sua morte no Cravo Albin é 1/1/1992, mas outros textos informam que ele faleceu em 1979.

Como não sei mais nada sobre ele vou transcrever um texto muito legal que encontrei na comunidade sobre o Alvarenga no Orkut, mas lá não cita nenhuma referência e o autor postou como anônimo...

Ernani Alvarenga era conhecido por sua forma especial de cantar baixinho, num estilo que para muitos lembrava o de Mário Reis. Era conhecido no meio musical como o"Samba falado¨, pois quase "cochichava" ao microfone. Porém, muitos acreditam que essa forma de cantar não era apenas um estilo, mas sim decorrência de uma doença nas cordas vocais que o deixou debilitado, impedindo-o mais tarde de cantar. Quando começava a consolidar sua carreira no rádio, o problema interrompeu precocemente a carreira artística do portelense.

Mexendo o caldeirão cultural, absorvendo tudo o que fervilhava em Oswaldo Cruz naquele período, Alvarenga compôs jongos, caxambus, sambas de terreiro, maxixes, sambas-canção, partidos-altos e sambas-exaltação, mesclando toda a diversidade cultural que ali se encontrava.
Do universo rural, Alvarenga compôs famosos caxambus. Exímio jongueiro, soube como poucos manter viva a herança dos antepassados escravos. Cantava a natureza, as coisas simples da vida, a dor dos escravos. Do universo urbano, compôs maxixes, que já faziam sucesso até em Paris; partido-alto, que tinha na Praça XI seu foco de difusão para o resto da cidade e tudo mais que fazia sucesso na região central.

Para tudo Alvarenga dava sua identidade própria. Extraía da multiplicidade sua arte, consagrando-se nos mais diversos gêneros e estilos. Ernani Alvarenga faleceu em 1979.  Sua lembrança é a saudade de uma Portela ingênua que, dando seus primeiros passos, buscava sua afirmação ainda como bloco. Reminiscência dos primeiros sambas que a Praça XI ouviu. Memória das primeiras linhas de um longo livro que começava a ser escrito. 

Segue abaixo um link pra uma coletânea com alguns sambas do Alvarenga:

Coletânea Alvarenga da Portela

01 - Fica de lá (Ernani Alvarenga)
Intérprete: Francisco Alves

02 - Vou navegar (Ernani Alvarenga)
Intérprete: Monarco

03 - Lá na Roça (Candeia e Alvarenga)
Intérprete: Martinho da Vila

04 - Derramando lágrimas (Alvarenga e Délcio Carvalho)
Intérprete: Clara Nunes

05 - Derramando lágrimas (Alvarenga e Délcio Carvalho)
Intérprete: Cristina Buarque e Velha Guarda da Portela

06 - Conselho de Vadio (Alvarenga)
Intérprete: Candeia e Alvarenga

07 - Lá vem ela chorando (Dinheiro não há) (Alvarenga e Benedito Lacerda)
Intérprete: Pedro Miranda

08 - Lá vem ela chorando (Dinheiro não há) (Alvarenga e Benedito Lacerda)
Intérprete: Leonel Faria

09 - É pancada (Alvarenga)
Intérprete: Paulão 7 cordas

10 - Sabiá Cantador (Alvarenga)
Intérprete: Velha Guarda da Portela

11 - Salário Mínimo (Alvarenga)
Intérprete: Alvarenga

12 - Linda Iaiá (Alvarenga e Jardel Noronha)
Intérprete: Ciro Monteiro


.

2 comentários:

Guilherme disse...

Belíssimos sambas esses de Alvarenga e a seleção de intérpretes está fina! Obrigado por compartilhar!

Renato Chiappim disse...

Mas que maravilha, meus parabéns pelo Blog meu amigo e por todas as postagens. Virei fã e já estou abastecendo meu acervo!!!