segunda-feira, 27 de junho de 2011

Eu Sou Povo

Trechos de Eu Sou Povo, Documentário de Bruno Bacellar, Luís Fernando Couto e Regina Rocha, 73 min.

Eu ainda não consegui assistir o filme completo, mas já dá um gostinho... Deve ser muito bom... Aliás, quem souber como conseguir uma cópia que se manifeste! 








.


quarta-feira, 22 de junho de 2011

Três sambas de Chico Santana


O mestre Chico Santana, além de dedicar seus versos à Portela, também era craque em falar de amor, ou melhor, da falta dele! 


Noite que tudo esconde 
(Chico Santana e Alvaiade)
Intérprete: Paulinho da Viola e Monarco


Noite que tudo esconde 
Onde está o meu amor 
Estou cansado de procurar 
Mas não há meio de encontrar 
Noite que tudo esconde, por favor 
Devolva o meu primeiro amor 

A noite foi-se embora, veio o dia 
Levando minha alegria 
Deixando comigo a dor 
Hoje só me resta a nostalgia 
Canto nessa melodia 
Mais um drama de amor 


Silêncio (Chico Santana)
Intérprete: Beth Carvalho


Silêncio 
É o que resta para mim 
Desde que você partiu 
A minh'alma jamais sorriu 
O meu peito soluça 
E os meus olhos não querem ter, 
Nenhuma lágrima 
Porque... 

Mas se meus olhos chorassem 
Talvez aliviassem 
Este tormento de dor 
Quem sofre é meu coração 
Guardando esta paixão 
De um sofrimento de amor



Tudo mudou tão de repente (Chico Santana e Argemiro)
Intérprete: Argemiro


Tudo mudou tão de repente
Sozinho estou novamente
Faz muito tempo que procuro
E não consigo encontrar
Alguém que me faça feliz 
E me saiba amar 

Eu não sei se é meu destino
Desde os tempos de menino
Vivo sofrendo assim
Eu não fui feliz com meu primeiro amor
Trago no peito essa grande dor
Por que sofro tanto assim
Minha cruz é tão pesada
Oh Deus tenha pena de mim.



.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Velha Guarda da Portela - Programa Ensaio 1975

Alvaiade canta Embrulho que eu carrego (Alvaiade e Djalma Mafra) e O mundo é assim (Alvaiade) no programa Ensaio da TV Cultura, gravado em 1975. Um registro precioso da Velha Guarda da Portela, praticamente em sua formação original...




Esse outro vídeo é um pouco maior. Casquinha canta Recado (Casquinha e Paulinho da Viola), Outro Recado (Casquinha e Candeia) e Sinal Aberto (Casquinha). Acho que já postei ele por aqui mas vale o repeteco:




E pra terminar, o Manacéa cantando um dos seus sambas mais bonitos... aliás, um dos sambas mais bonitos de todos os tempos... Quantas lágrimas (Manacéa)





.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Puxando Conversa - Wilson Moreira

Wilson "Alicate" Moreira
Gravado em dezembro de 1998, "Coisa da Antiga" é mais um prograda ma série "Puxando Conversa". Dessa vez o papo é com o mestre Wilson Moreira, que relembra os velhos bambas da Portela, os tempos de Praça Onze e Mocidade... Fala da sua querida Portela, de suas raízes no jongo e do seu apelido... Enfim, um ótimo bate papo com o mestre, sambista, partideiro, jongueiro... uma simpatia só... 




Músicas:

Coisa da Antiga (Wilson Moreira e Nei Lopes)
Coité cuia (Wilson Moreira e Nei Lopes)
Candongueiro (Wilson Moreira e Nei Lopes)
Iaô (Pixinguinha e Gastão Viana)
Gostoso veneno (Wilson Moreira e Nei Lopes)
Senhora liberdade (Wilson Moreira e Nei Lopes)
Quero estar só (Wilson Moreira e Candeia)
Não foi ela (Wilson Moreira e Nei Lopes)
Gotas de veneno (Wilson Moreira e Nei Lopes)
Toda minha verdade (Wilson Moreira)
Morendo de saudades (Wilson Moreira e Nei Lopes)
Musicos:
Toninho Galante - Violão
Lenildo Gomes - Cavaco
Zé Luiz - Percussão
Galoti - Percussão e vocal
Chico Abreu - Percussão
Oswaldo Cavalo - Percussão e vocal
Direção: Valter Filé
Produção: TV Maxambomba
Realização: Cecip



Vídeo do lançamento do programa Coisa da Antiga, com uma roda de samba no Museu da República, Rio de Janeiro







.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Homenagem a Nélson Cavaquinho


Zé Kéti e Dino homenageiam Nélson Cavaquinho com esse samba, composto quase de improviso e apresentado na ocasião da morte do Nélson (TVE 1986).


Compadre Nelson Cavaquinho, onde anda você
Já me disseram que deixaste de beber o seu conhaque
Sua Genebra bem amada, em suas mil ou mais moradas.
Você cantava a noite inteira com a batida diferente do seu violão
E nos bares da cidade bebia um vinho rascante
A rouquidão em sua voz era constante, bem constante
E na Praça Tiradentes cantava seus sambas prá gente
Depois saía com a viola pra lugares diferentes
A Lua foi sua companheira e hoje está de luto com a Estação Primeira
A Lua foi sua companheira e hoje está de luto com o Morro da Mangueira
Sabemos que o Brasil e o mundo inteiro te conhecem
Eu bato palmas prá você porque você merece
Onde anda, eu quero ver 
O seu parceiro, o Guilherme, deve estar coroa
E aqui prá nós a dupla é muito boa
Eu tambem já compus alguma coisa, já fiz sambas com você
Se hoje sou poeta, tive muito que aprender
Enriqueceu os versos meus, o meu muito obrigado, 
Adeus, meu criador


.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Linda Iaiá - Conselhos de Vadio

Ciro Monteiro
Pegando uma carona na postagem sobre o Alvarenga.... Esse samba foi gravado pela primeira vez em 1940  pelo Ciro Monteiro em disco 78 rpm, com o nome de Linda Iaiá e parceria com Jardel Noronha... Nessa gravação o samba vem com uma estrutura que conta com a primeira e a segunda fixas e uma levada mais corrida... Ouçam:

Linda Iaiá 
Compositores: Ernani Alvarenga e Jardel Noronha
Intérprete: Ciro Monteiro


Baixar

Iaiá, minha linda iaiá
Por quem eu chorei noite e dia
Volte a gozar boa vida em minha companhia
Mais tarde eu lhe direi então
Amor, muito carinho é bom
Oh, vem se quer, linda mulher

Embora você me deixe
E comigo fique a dor
Embora acabe a amizade
Sempre existe algum amor
Por querer acreditar em juramento de mulher
Minha vida é um sofrimento
Seja o que Deus quiser, minha linda Iaiá


Candeia
Trinta e cinco anos depois, em 1975, o mestre Candeia gravou o mesmo samba com o nome "Conselhos de Vadio", no disco Samba de Roda. O samba vem com uma letra bem diferente e em uma estrutura que remete ao partido alto, com o Candeia e o próprio Alvarenga improvisando em cima do tema que permanece o mesmo, embora com a letra um pouco diferente. Dessa vez a autoria do samba é creditada apenas a Alvarenga e os versos "improvisados"... Ouçam como a genialidade dos dois partideiros dá uma nova cara ao samba gravado por Ciro na década de 1940...


Conselhos de Vadio
Compositor: Alvarenga
Intérprete: Candeia e Alvarenga



Se queres ser minha, Iaiá,
Tens que abandonar orgia
Pra gozar de boa vida em minha compania
Mais tarde lhe direi então
Conselhos de vadio é bom
Oh vem se quer, linda mulher...

Alvarenga: Esta mulher é teimosa
E gosta de trapalhada
Quando ela vai para o samba
Só volta de madrugada!

Candeia: Te avisei, Mano Alvarenga
Deixa essa mulher pra lá
Ela briga, ela bebe, ela fuma, ela xinga
Não pode ser a dona do teu lar!

Se queres ser minha Iaiá....

O homem da boemia
Ele faz tudo que quer
Mas também se apaixona
Por um amor de uma mulher

Esta nega ja foi minha, meu camaradinha
E aconteceu:
Não quis ir para a cozinha
No primeiro dia o nosso amor morreu!

Se queres ser minha Iaiá....

Ô, meu cumpade, Candeia
Esta mulher já foi bela
Conheci essa cabrocha
No ensaio da Portela

Eu não quero essa mulher, Alvarenga
Nem na coberta de ouro
Ela é dose pra leão
É a imagem do cão, é um chifre pra touro


Monarco
Em 1980 o Monarco homenageou o compadre Alvarenga gravando "Conselhos de Vadio" no seu disco Terreiro. Aqui o samba vem com uma levada mais de samba de terreiro, com um agogô nervoso no rítmo... A letra ficou assim: a primeira é igual a gravação do candeia e a segunda, como na gravação do Ciro...

Conselhos de Vadio
Compositor: Alvarenga
Intérprete: Monarco


Se queres ser minha Iaiá
Tens que abandonar a orgia
Vem gozar de boa vida em minha companhia
Mais tarde eu lhe direi então
Conselho de vadio é bom
Oh, vem se quer, linda mulher

Embora você me deixa
E comigo fica a dor
Embora acaba a amizade
Sempre existe algum amor
Por querer acreditar em juramento de mulher
Minha vida é um sofrimento
Seja o que Deus quiser, minha linda Iaiá


.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Alvarenga, o Samba Falado...

Ernani Alvarenga
Há exatos 97 anos nascia Ernani Alvarenga, o Alvarenga da Portela, também conhecido pela alcunha de O Samba Falado", é um compositor sempre lembrado por companheiros de samba em suas histórias sobre os tempos de ouro da Portela.

Alvarenga nasceu em 1914 na cidade de São Paulo, na Barra Funda, bairro com grande tradição no universo do samba paulista. Mas foi no Rio de Janeiro, cidade para onde se mudou aos quatro anos de indade, que Alvarenga conheceu o samba. Chegando lá foi morar em Oswaldo Cruz a anos mais tarde aprendeu a tocar cavaquinho e dizem que aos treze anos já tocava em um regional e arriscava as primeira composições.

Em 1926 entrou para o bloco carnavalesco Conjunto de Oswaldo Cruz, liderado por Paulo da Portela, Antônio Caetano e Antônio Rufino. Anos mais tarde o bloco mudou de nome para Vai Como Pode e logo depois deu origem ao Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela.

Sobre ele achei muito pouca informação. O dicionário Cravo Albin diz que ele integrou a Velha Guarda da Portela tocando cavaquinho e cantando. Entretanto seu nome não consta nos discos da VGP nem no livro do João Baptista Vargens. Foto, só essa miudinha...

A data da sua morte no Cravo Albin é 1/1/1992, mas outros textos informam que ele faleceu em 1979.

Como não sei mais nada sobre ele vou transcrever um texto muito legal que encontrei na comunidade sobre o Alvarenga no Orkut, mas lá não cita nenhuma referência e o autor postou como anônimo...

Ernani Alvarenga era conhecido por sua forma especial de cantar baixinho, num estilo que para muitos lembrava o de Mário Reis. Era conhecido no meio musical como o"Samba falado¨, pois quase "cochichava" ao microfone. Porém, muitos acreditam que essa forma de cantar não era apenas um estilo, mas sim decorrência de uma doença nas cordas vocais que o deixou debilitado, impedindo-o mais tarde de cantar. Quando começava a consolidar sua carreira no rádio, o problema interrompeu precocemente a carreira artística do portelense.

Mexendo o caldeirão cultural, absorvendo tudo o que fervilhava em Oswaldo Cruz naquele período, Alvarenga compôs jongos, caxambus, sambas de terreiro, maxixes, sambas-canção, partidos-altos e sambas-exaltação, mesclando toda a diversidade cultural que ali se encontrava.
Do universo rural, Alvarenga compôs famosos caxambus. Exímio jongueiro, soube como poucos manter viva a herança dos antepassados escravos. Cantava a natureza, as coisas simples da vida, a dor dos escravos. Do universo urbano, compôs maxixes, que já faziam sucesso até em Paris; partido-alto, que tinha na Praça XI seu foco de difusão para o resto da cidade e tudo mais que fazia sucesso na região central.

Para tudo Alvarenga dava sua identidade própria. Extraía da multiplicidade sua arte, consagrando-se nos mais diversos gêneros e estilos. Ernani Alvarenga faleceu em 1979.  Sua lembrança é a saudade de uma Portela ingênua que, dando seus primeiros passos, buscava sua afirmação ainda como bloco. Reminiscência dos primeiros sambas que a Praça XI ouviu. Memória das primeiras linhas de um longo livro que começava a ser escrito. 

Segue abaixo um link pra uma coletânea com alguns sambas do Alvarenga:

Coletânea Alvarenga da Portela

01 - Fica de lá (Ernani Alvarenga)
Intérprete: Francisco Alves

02 - Vou navegar (Ernani Alvarenga)
Intérprete: Monarco

03 - Lá na Roça (Candeia e Alvarenga)
Intérprete: Martinho da Vila

04 - Derramando lágrimas (Alvarenga e Délcio Carvalho)
Intérprete: Clara Nunes

05 - Derramando lágrimas (Alvarenga e Délcio Carvalho)
Intérprete: Cristina Buarque e Velha Guarda da Portela

06 - Conselho de Vadio (Alvarenga)
Intérprete: Candeia e Alvarenga

07 - Lá vem ela chorando (Dinheiro não há) (Alvarenga e Benedito Lacerda)
Intérprete: Pedro Miranda

08 - Lá vem ela chorando (Dinheiro não há) (Alvarenga e Benedito Lacerda)
Intérprete: Leonel Faria

09 - É pancada (Alvarenga)
Intérprete: Paulão 7 cordas

10 - Sabiá Cantador (Alvarenga)
Intérprete: Velha Guarda da Portela

11 - Salário Mínimo (Alvarenga)
Intérprete: Alvarenga

12 - Linda Iaiá (Alvarenga e Jardel Noronha)
Intérprete: Ciro Monteiro


.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Puxando Conversa com Romildo

Romildo
"Cheio de Cantigas" é o primeiro programa da série Puxando Conversa, gravado em 07/05/1990 com o compositor Romildo e participação dos musicos Roberto Lara e Evandro Lima.

Romildo Souza Bastos, pernambucano da Ilha de Itamaracá, é um compositor daqueles que todo mundo conhece a obra mas não sabe de quem é... Autor de clássicos imortalizados por algumas das maiores vozes do samba com Clara Nunes, Elizeth Cardoso, Elza Soares e Roberto Ribeiro, morreu cedo, uma semana após a gravação desse vídeo,  e sem o reconhecimento merecido...

É como diz o samba do Geraldo Filme: "Sambista de rua morre sem glória, depois de tanta alegria que ele nos deu"... 


"Quem não sofre não é poeta" - Romildo




Músicas
1 - Moeda  (Romildo e Toninho Nascimento)
2 – Enlace matrimonial  (Romildo, Toninho Nascimento e Carlito Cavalcante)
3 – Passárgada o amigo do rei  (Romildo, Toninho Nascimento e Carlito Cavalcante)
4 – Meu Brasil brasileiro  (Romildo, Toninho Nascimento e Carlito Cavalcante)
5 - Conto de areia (Romildo e Toninho Nascimento)
6 – Fuzuê (Romildo e Toninho Nascimento)
7 – A deusa dos orixás (Romildo e Toninho Nascimento)
8 – Menino velho (Romildo e Toninho Nascimento)
9 – Vapor de São Francisco (Romildo e Toninho Nascimento)
10 – Gandaia (Romildo e Sérgio Fonseca)
 
 Direção: Valter Filé
Produção: TV Maxambomba
Realização: Cecip


.

Projeto Puxando Conversa

Valter Filé, coordenador do projeto
É com grande alegria que inauguro uma nova coluna aqui no Receita. A partir de hoje você vai conhecer um pouco mais sobre o Projeto Puxando Conversa. Coordenado pelo professor da UFFRJ, Valter Filé, o Puxando Conversa é um projeto de memória da cultura popular que atua no registro e divulgação das histórias do samba e do cotidiano popular, contada por seus cronistas oficiais: os compositores. A idéia é registrar em vídeo a obra, a maneira de compor, a relação com os parceiros e com a vida, desses compositores, muitos deles praticamente no anonimato. Ao todo são 27 vídeos.

Segundo Valter, tudo começou com a gravação de um programa sobre o bairro de Mesquita, na TV Maxambomba (TV independente que atuava na região da Baixada Fluminense). Entre os moradores do bairro estava Romildo, um pernambucano cheio de cantigas que, segundo um amigo e parceiro, havia trazido do nordeste ritmos - o coco, a embolada, o baião, o frevo - que se encontraram com o samba carioca. Foram registradas em vídeo, quatro horas de pérolas. Esse ilustre “desconhecido” tinha dezenas de músicas gravadas e entre os importantes interpretes, ele se orgulhava de ter levado, pela primeira vez na historia da música popular brasileira, uma mulher ao topo das vendas no Brasil. Era Clara Nunes com sua música “Contos de areia”. Uma semana após as nossas gravações em vídeo, Romildo falece, aos 47 anos de idade. Era o ano de 1990.

Uma das primeiras rodas do Puxando Conversa, com a participação de Catoni e Norival Reis

Romildo impressionou de tal forma que os organizadores seguiram gravando outros compositores sem saber bem o que fazer com o material. O projeto só tomou a forma atual em 1998, quando passaram a lançar os vídeos em rodas de samba mediadas pela linguagem audiovisual. Dentres os diversos compositores registrados pelo Puxando Conversa estão Wilson das Neves, Catoni, Wilson Moreira, Monarco, Norival Reis, Noca da Portela e muitos outros, alguns mais, outros menos conhecidos... Prepare-se boas sessões de bate papo e muita musica com importantes nomes do nosso samba. 

Você pode acessar as postagens sobre o Puxando Conversa clicando em "Categorias" bem alí no menu à direita ou pela página "Puxando Conversa" no menu localizado logo abaixo do logotipo do Receita de Samba!

Deliciem-se com essas receitas!


terça-feira, 7 de junho de 2011

Peso é Peso




Programa de rádio "Madrugada na Globo" de 22/05/2011 entrevista o Tuco, cantor que vem fazendo um belo trabalho, apresentando só brasas de grandes compositores antigos. Pra quem não conhece o CD "Peso é Peso", uma ótima oportunidade pra ouvir algumas musicas e conhecer um pouco mais sobre o Tuco e seu Batalhão de Sambistas:




.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Aniceto do Império - Dia de Alforria

Documentário com o velho Aniceto, produzido e dirigido por Zózimo Bulbul em 1981.

Mestre Aniceto mostra a casa de Dona Eulália, onde se reuniram com outros bambas da Prazer da Serrinha para fundar o Império Serrano, conversa com Sebastião Molequinho sobre os bons tempos da Serrinha e fala - com seu português impecável - do seu trabalho como estivador e da sua luta pelos direitos dos trabalhadores, com o sindicato da Resistência.

Tem também trechos de uma apresentação do velho partideiro.





.

sábado, 4 de junho de 2011

Dois vídeos com mestre Candeia

Dois importantes registros do mestre Candeia. No primeiro vídeo ele canta acompanhado de um punhado de bambas, entre eles o Osmar com seu cavaco... O samba é "Riquezas do Brasil", samba enredo composto por Candeia e Waldir 59 para a portela em 1957e rendeu o segundo lugar na avenida.


Brasil, tu és uma dádiva divina 
Cacau, cana-de-açúcar e algodão 
Borracha, mate e café 
Produtos desta imensa nação 
Tens os campos tão férteis em matérias-primas 
E as tuas riquezas invejam o mundo 
Jazidas tais e tamanhas, em teu solo tão fecundo 
Há em tuas entranhas ouro e manganês, e outros minerais 
És forte, belo e varonil, Brasil! Brasil! Brasil! 

Tuas gloriosas Forças Armadas 
Com desvelo zelam pelo teu tesouro 
Em tua história consagrada escreveram páginas de ouro 
Guias defensores de amanhã, futuros doutorandos do Brasil 
Estejam sempre alerta 
Tragam na lembrança o conselho de um poeta 
Criança, não verás país nenhum como este 
Imita na grandeza a terra em que nasceste


No segundo vídeo, Candeia canta sozinho, acompanhado de seu violão o belo samba "Minhas Madrugadas", parceria do mestre com Paulinho da Viola.


Vou pelas minhas madrugadas a cantar
Esquecer o que passou
Trago a face marcada
Cada ruga no meu rosto
Simboliza um desgosto

Quero encontrar em vão o que perdi
Só resta saudade, não tenho paz
E a mocidade que não volta mais

Quantos lábios beijei, quantas mãos afaguei
Só restou saudade no meu coração
Hoje fitando o espelho eu vi meus olhos vermelhos
Compreendi que a vida que eu vivi foi ilusão

.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Rosa de Ouro

Esse vídeo é uma preciosidade! Paulinho da Viola, Anescarzinho do Salgueiro, Élton Medeiros, Jair do Cavaquinho e Nélson Sargento tocam clássicos do espetáculo "Rosa de Ouro"!

As musicas interpretadas são:

Jurar com lágrimas (Paulinho da Viola)
Água do Rio (Anescar do Salgueiro e Noel Rosa de Oliveira)
O Sol Nascerá (Élton Medeiros e Cartola)
Pecadora (Jair do Cavaquinho e Joãozinho da Pecadora)
Primavera (Nélson Sargento, Alfredo Português e Jamelão)






.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Mauro Duarte

Mauro Duarte, o Bolacha
Hoje, se estivesse vivo, Mauro Duarte de Oliveira completaria 81 anos... Conhecido também como Bolacha, apelido que ganhou por causa de sua cara arredondada, Mauro Duarte foi um senhor compositor. Embora seu nome seja pouco lembrado, é um dos mais importantes compositores do samba carioca e deixou composições que influenciaram gerações de sambistas e influenciam até hoje...

Mauro Duarte nasceu em Matias Barbosa, distrito de Juiz do Fora, MG, mas se mudou pro Rio de Janeio com apenas 3 anos de idade. Morador de Botafogo, frequentava desde criança os blocos carnavalescos do bairro e aos 15 anos já participava da ala de compositores da Mocidade Alegre de Botafogo. No bairro, veio a conhecher grandes compositores, como Walter Alfaiate e Miltinho Tristeza. Mauro passava a integrar o seleto grupo de compositores de Botafogo, que anos mais tarde passaria a contar com a presença do jovem Paulinho da Viola.

Só em 1960 teve sua primeira musica gravada, a composição "Palavra" interpretada por Miltinho. Ainda na década de 60, entrou para o conjunto "Os cinto crioulos", substituindo Paulinho da Viola. Com os Cinco Crioulos, Mauro gravou três discos: Samba... no duro (1967), Samba... no duro Vol. 2 (1968) e Conjunto os Cinco Crioulos (1969) (clique nos links para baixar os CD's). 


Dentre suas inúmeras parcerias, destacam-se aquelas com Paulo César Pinheiro. Juntos eles fizeram verdadeiras obras primas, muitas delas imortalizadas na voz de Clara Nunes: Portela na Avenida, Canto das 3 Raças, Menino Deus... É, inclusive, dos dois em parceria com João Nogueira o samba "Um Ser de Luz", em homenagem à guerreira que cantou como ninguém a obras desses três compositores.

Mauro Duarte e Cristina Buarque
Em 2008 o pessoal do Samba de Fato em parceria com a Cristina Buarque lançaram o CD duplo "O Samba Informal de Mauro Duarte". Uma preciosidade pra quem conhecer a fundo a obra do Bolacha. Os clássicos como Lama, Meu sapato já furou, além dos sambas citados acima ficaram de fora, pois já são conhecidos do público e estão na boca do povo nas rodas de samba. A idéia é divulgar canções pouco conhecidas. 

Entre as gravações, algumas inéditas como "Dúvida", "Jeito do cachimbo" e "Reza, meu bem", outras com gravações raras, difíceis de se encontrar, e diversos sambas cujas letras foram deixadas incompletas por Mauro duarte e terminadas postumamente por Paulo César Pinheiro, como é o caso de "O Samba que eu lhe fiz", "Compaixão", "Lamento Negro", "Samba de Botequim" e muitos outros. Ao todo são 30 musicas em um CD duplo, cheio de arranjos muito bem feitos pelo pessoal do Samba de Fato, encabeçados pelo Alfredo Del Penho.



Outro precioso registro é o disco "A Musica brasileira deste século por seus autores e intérpretes - Mauro Duarte e Noca da Portela" que traz o áudio o programa MPB Especial (Ensaio) da TV Cultura de São Paulo, dirigido por Fernando Faro e gravado em 04/09/1974. O disco traz depoimentos e musicas interpretadas pelos dois compositores.


Aqui, um pdf que encontrei lá no site do Samba de Fato com todas (acredito eu) as letras do Mauro Duarte, em ordem alfabética. Pra complementar, separei alguns sambas do Bolacha que fui encontrando aqui pelo meu HD.



O 4 shared está pedindo para fazer login antes de baixar os arquivos:
Login: blogreceitadesamba@yahoo.com.br
Senha: samba2012


01 - Lamentação (Mauro Duarte) / Intérprete: Os Cinco Crioulos
02 - A maioria sem nenhum (Élton Medeiros e Mauro Duarte) / Intérprete: Élton Medeiros
03 - Requebra Morena (Mauro Duarte e Paulo C.P.) / Intérprete: Alfredo Del Penho e Pedro Paulo Malta
04 - Tribuito aos orixás (Mauro Duarte e Ruben Tavares) / Intérprete: Clara Nunes
05 - Artifício (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) / Intérprete: Clara Nunes e Roberto Ribeiro
06 - A.M.O.R. Amor (Mauro Duarte e Walter Alfaiate) / Intérprete: Walter Alfaiate
07 - Vazio (Mauro Duarte e Élton Medeiros) / Timidez (Noca e Mauro Duarte) / Intérprete: Mauro e Cristina Buarque
08 - Perdão (Mauro Duarte, Paulo César Pinheiro e Maurício Tapajós) / Intérprete: Clara Nunes
09 - Reclamação (Mauro Duarte e Paulinho da Viola) / Intérprete: Paulinho da Viola e Mauro Duarte
10 - Jogo de Angola (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) / Intérprete: PCP e Mauro Duarte)
11- Cuidado, teu orgulho te mata (Mauro Duarte e Walter Alfaiate) / Intérprete: Paulinho da Viola
12 - Volta para minha companhia (Mauro Duarte)
Violão Amigo (Mauro Duarte, Walter Alfaiate e Zorba Devagar)
Eu Pensei (Mauro Duarte e Décio Carvalho)
Eu Vou Embora (Mauro Duarte) / Intérprete: Cristina Buarque e Walter Alfaiate
13 - Resgate (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) / Intérprete: Cristina Buarque e Mauro Duarte
14 - Coroa de Areia (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) / Intérprete: Clara Nunes
15 - Carioca da Gema (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) / Intérprete: PCP e Cristina Buarque
16 - Foi Demais (Mauro Duarte e Paulinho da Viola) / Intérprete: Paulinho da Viola
17 - Reserva de Domínio (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) / Intérprete: PCP, Mauro e Cristina Buarque
18 - Alegria Continua (Mauro Duarte e Noca da Portela) / Intérprete: Cristina Buarque e Mauro Duarte
19 - Sorri de Mim (Mauro Duarte e Walter Alfaiate) / Intérprete: Cristina Buarque e Mauro Duarte
20 - Aventura (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) / Intérprete: Mauro Duarte
21 - Barba de Molho (Mauro Duarte) / Intérprete: Os Cinco Crioulos
22 - Sonho de Criança (Mauro Duarte e Noca da Portela) / Intérprete: Noca da Portela
23 - Samba de Amor (Mauro Duarte, João Nogueira e Gisa Nogueira) / Intérprete: João Nogueira
24 - Menino Deus (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) / Intérprete: Clara Nunes
25 - Se o carnaval acabar (Élton Medeiros, Mauro Duarte e Hermínio Bello) / Intérprete: Cyro Monteiro, Élton e Mauro
26 - Coração em chamas (Élton Medeiros e Mauro Duarte) / Intérprete: Clara Nunes
27 - Brasil mestiço, santuário de fé (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) / Intérprete: Clara Nunes
28 - Nunca mais (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) / Intérprete: Roberto Ribeiro
29 - Lama (Mauro Duarte) / Intérprete: Surica
30 - A paixão e a jura (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) / Intérprete: Roberto Ribeiro
31 - Contentamento (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) / Intérprete: Moacyr Luz 
32 - Pedra Falsa (Mauro duarte e Paulo César / Intérprete: Roberto Ribeiro

.



quarta-feira, 1 de junho de 2011

Documentário com Nélson Cavaquinho

Aproveitando as comemorações do centenário do Nélson Cavaquinho, segue um documentário produzido em 1969 por Leon Hirzman (o mesmo que produziu o Partido Alto). 

O vídeo foi filmado em 35mm, preto e branco e tem quinze minutos de duração. 


Parte 1

Parte 2


.