quarta-feira, 16 de março de 2011

Nélson Cavaquinho 100 anos


2011 é um ano de grandes comemorações... Nélson Cavaquinho, Chico Santana e Assis Valente... Três grandes compositores brasileiros, verdadeiros poetas que nos brindaram com suas lindas melodias em sambas memoráveis...

Desses três gênios da nossa música, Nélson Cavaquinho é, sem duvida alguma, o mais lembrado. Também é o que tem o maior número de composições. Clássicos do cancioneiro popular, alguns sambas de sua autoria como Folhas Secas, A Flore e o Espinho e Juizo Final estão sempre na ponta da língua do público nas rodas de samba ou em grandes espetáculos.

Por outro lado, se Nélson Cavaquinho é um dos sambistas mais conhecidos e aclamados, sua obra é proporcionalmente uma das menos divulgadas. Nélson compôs mais de 200 musicas, mas para muitos, inclusive pessoas envolvidas com o samba, a maioria dessas musicas é desconhecida. Vejo novos cantores surgindo a cada dia, belas vozes, mas com raras exceções, o repertório é sempre o mesmo... Fico imaginando se isso é um resultado da simples negligência dos cantores brasileiros, que provavelmente sabem da existência desse amplo repertório deixado pelos grandes bambas, mas têm medo de gravar canções menos conhecidas e não receberem uma boa aceitação...

Nascido no dia 29 de outubro de 1911, no bairro da Tijuca, Rio de Janeiro, Nélson Antônio da Silva começou freqüentando rodas de choro e bailes no bairro da Gávea, onde conheceu músicos importantes para sua formação musical, como Heitor dos Prazeres e o violonista Juquinha, que o ensinou as primeiras noções de cavaquinho, instrumento que lhe acompanharia no nome para o resto da vida. É desta época a sua primeira composição, um choro chamado "Queda". Foi também durante esse período em que desenvolveu seu jeito único de tocar violão, usando apenas o polegar e o indicador para "beliscar as cordas"...

Dentre suas inúmeras profissões, por volta dos 20 anos de idade ingressou na Cavalaria da Policia Militar e para que isso fosse possível, seu pai alterou sua certidão de nascimento para 29/10/2010. Um ano mais velho, Nélson pode ingressar na polícia.  Nélson e seu cavalo, o "vovô", patrulhavam o morro da Mangueira, onde conheceu e ficou amigo de sambistas como Zé Com Fome, Cartola e Carlos Cachaça. Por causa da boemia, Nélson se esquecia do trabalho e ao retornar ao batalhão, muitas vezes acabava preso acabava preso. Ele mesmo conta:

"Eu ia tantas vezes em cana que já estava até me acostumado com o xadrex. Era tranqüilo, ficava lá compondo. Entre as músicas que fiz no xadrex está  Entre a Cruz e a Espada"

Entre a Cruz e a Espada (Nélson Cavaquinho)
Intérprete: Alfredo Del Penho e Pedro Paulo Malta


.

Nenhum comentário: