terça-feira, 9 de novembro de 2010

Bêbadosamba...



Um mestre do verso, de olhar destemido, disse uma vez, com certa ironia :
“Se lágrima fosse de pedra eu choraria”
Mas eu, como semrpe perdido, bêbado de sambas e tantos sonhos
Choro a lágrima comum, que todos choram
Embora não tenha nessas horas, saudade do passado, remorso uu mágoas menores...

Meu choro, dolente, por questão de estilo, é chula quase raiada
Solo espontâneo e rude de um samba nunca terminado
Um rio de murmúrios da memória de meus olhos, e quando aflora
Serve, antes de tudo, para aliviar o peso das palavras
Que ninguém é de pedra

Boca negra e rosa, debochada e torta
Riso de cabrocha, generosaBeijo de paixão

Coração partido, verso de improviso
Beba do martírio desta vida
Pelo coraçãoBebadachama

Chama, que o samba semeia a luz de sua chama
A paixão vertendo ondas, velhos mantras de aruanda

Chama por Cartola, chama por Candeia
Chama Paulo da Portela, chama...
Ventura, João da Gente e Claudionor
Chama por mano Heitor, chama...Ismael, Noel e Sinhô

Chama Pixinguinha, chama...
Donga e João da Baiana
Chama por Nonô, chama Cyro Monteiro
Wilson e Geraldo Pereira
Monsueto, Zé com fome e Padeirinho
Chama Nelson Cavaquinho, chama Ataulfo
Chama por Bide e Marçal

Chama, chama, chama...Buci, Raul e Arnô Cabegal
Chama por mestre MarçalSilas, Osório e Aniceto
Chama Mano Décio...Chama meu compadre Mauro Duarte,
Jorge Mexeu e Geraldo Babão

Chama Alvaiade, Manacéa e Chico Santana
E outros irmãos de samba
Chama, chama, chama...



Nenhum comentário: