quarta-feira, 21 de julho de 2010

Avante portelense para a vitória!


O ano era 1941... O fatídico ano em que o Paulo da Portela brigou feio com a escola que fundou e ajudou a colocar na lista dos maiores redutos do samba no Rio de Janeiro. A confusão antes do desfile por causa da roupa de Cartola e Heitor dos Prazeres que, convidados por Paulo, foram impedidos de desfilar por não estarem vestindo azul, exigência do próprio Paulo, não impediu porém que naquele ano, com um enredo quase premonitório, a Portela inaugurasse um período de hegemonia que até hoje ainda não foi superado por nenhuma escola. O enredo "10 anos de glória" marcaria, na verdade, o início do sete anos de glória da Portela.

O samba de Bibi e Chatim era cantado naquele coro bonito e a segunda parte era só improviso com os versos de João da Gente e Alcides Histórico...

Sem você não tenho mais felicidade
Nunca mais voltou para rezar no santuário
O meu coração se transformou em lacrimário

Primeiro lugar: Portela
Segundo lugar: Estação Primeira
Terceiro lugar: Depois Eu Digo

Em 1942, com a Praça Onze já em seus últimos momentos, completamente descaracterizada - é desse ano o samba de Herivelto Martins e Grande Otelo: "vão acabar com a praça onze..."- a Portela desfilou com o enredo "A Vida do Samba" e bateu 22 escolas. Segundo o jornal "A Manhã":

"... com um cortejo superior a 400 pessoas, a Portela afigurou-se desde logo, forte concorrente, apresentando também uma bem cadenciada turma de bateria, bons sambas e ótima harmonia".

O samba era do ainda jovem Alvaiade e Chatim:

Samba foi uma festa dos índios
Nós o aperfeiçoamos mais
É uma realidade
Quando ele desce do morro
Para viver na cidade

Samba, tu és muito conhecido
No mundo inteiro
Samba, orgulho dos brasileiros
Foste ao estrangeiro
E alcançaste grande sucesso
Muito nos orgulha o teu progresso

No resultado final a Mangueira e a Depois Eu Digo se revezaram em relação ao ano anterior:

Primeiro lugar: Portela
Segundo lugar: Depois Eu Digo
Terceiro lugar: Estação Primeira

Durante os anos de 1943 e 1944, o samba perdia espaço para a guerra. Com o envolvimento do Brasil nas batalhas européis da II Guerra Mundial, houve um certo constrangimento da sociedade em dar grande espaço à festa do carnaval, em sinal de respeito. em nota, o Jornal do Brasil afirmava:

"Festejar o carnaval na situação em que nos encontramos seria leviandade, senão verdadeira inconsciência".

Mesmo assim, o desfile aconteceu na Avenida rio Branco, em 1943, pela primeira vez fora da Praça Onze. Com o apoio da prefeitura, que decidiu mesmo diante dos fatos, apoiar o carnaval, a Liga da Defesa Nacional e a União Nacional dos Estudantes foram incumbidos de mobilizar o povo e promover o desfile das escolas de samba, que naquele ano foi batizado "Carnaval da Vitória". A Portela levou mais um, com o sugestivo enredo "Carnaval de Guerra".

O samba "Brasil Terra da Liberdade", cujo assunto não podia ser outro, era assinado por Nilson e Alvaiade:


Democracia
Palavra que nos traz felicidade
Pois lutaremos
Para honrar a nossa liberdade

Brasil, oh! meu Brasil!
Unidas nações aliadas
Para o front eu vou de coração

Abaixo o Eixo
Eles amolecem o queixo
A vitória está em nossa união

Primeiro lugar: Portela
Segundo lugar: Estação Primeira
Terceiro lugar: Azul e Branco

Já em 1944, no primeiro dia de carnaval "O Jornal" anunciava:

Começa hoje o reinado efêmero de Momo. Será o mais curto, o de menor fausto, sem o entusiasmo dos outros anos quando de fato o carnaval era uma festa popular. Hoje o Carioca não mais possui a Praça Onze e em seu lugar existe um arcabouço de cimento armado: o futuro monumento dos trabalhadores. O carnaval desse ano será mais triste. Estamos em guerra, atingidos pela crise mundial e aquela alegria contagiante do carioca despareceu, surgindo uma nítida compreensão do momento que atravessa a humanidade"

O samba de Zé Barriga Dura e Nilton Batatinha, ainda guardava a forte influência dos acontecimentos da guerra:

Somos todos brasileiros
E por ti queremos servir
O clarím já tocou: reunir!
Adeus minha querida que já vou partir
Em defesa do nosso país
Verde, amarelo, branco e azul
Cor de anil é o meu Brasil

Ó meu torrão abençoado
Os teus filhos adorados
Seguiremos prá fronteira
Prá defender a vida inteira
Nossa querida bandeira

O desfile aconteceu, porém sem nenhuma cobertura da imprensa. Sabe-se apenas que em 1944 e 1945 (enredo Brasil Glorioso) a Portela foi a campeã, mas não foi divulgada a lista com a classificação final dos desfiles destes anos.

Em 1945, o samba campeão, que acompanhava o enredo novamente definido pela Liga de Defesa Nacional e UNE, "Brasil Glorioso", foi assinado pelo grande Ventura:

Ó meu Brasil glorioso
És belo, és forte, um colosso
É rico pela natureza
Eu nunca vi tanta beleza
Foi denominado terra de Santa Cruz
Ó pátria amada, terra adorada, terra de luz

Nessas mal traçadas rimas
Quero homenagear
Este meu torrão natal
És rico, és belo, és forte
E por isso és varonil
Ó pátria amada, terra adorada, viva o Brasil


Em 1946, o desfile das escolas de samba foi transferido para a Avenida Presidente Vargas, local onde antes existia a Praça Onze. Com o fim da guerra, os ânimos voltavam a se esquentar e a maioria dos enredos eram relacionados às batalhas e vitórias no distante continente. No final, nem precisa dizer que quem levou foi novamente a Portela... Mas dessa vez, as escolas cansadas da hegemonia protestaram, porém em vão, uma vez que o Conselho Deliberativo da União das Escolas de Samba negou o recurso apresentado pelos dirigentes da Escola de Samba Prazer da Serrinha.


O samba, novamente de Ventura, trazia uma novidade: a partir deste ano estaria proibido o improviso, sendo obrigatória a composição de uma segunda parte para os sambas:

O carnaval da vitória
É o que a Portela revela
Liberdade, progresso, justiça
Que realiza o valor de um povo herói

Jamais poderei esquecer
Essa data sagrada
Que o mundo inteiro sempre lembrará
Esse carnaval, cheio de encantos mil
Lá, lá, lá, lá, lá...
Canta, canta meu Brasil

Primeiro lugar: Portela com o enredo "Alvorada de um Novo Mundo"
Segundo lugar: Estação Primeira de Mangueira com o enredo "A Nossa História"
Terceiro lugar: Depois Eu Digo com o enredo "Tomada de Monte Castelo"

No ano de 1947, 48 escolas se inscreveram para o desfile, mas na hora apenas 26 apareceram. Foi nesse ano também, que algumas escolas dissidentes desligaram-se da União das Escolas de Samba e criaram a Confederação das Escolas de Samba do Brasil.

O carnaval de 1947 foi considerado o Carnaval da Paz e a Portela Trazia o enredo de Lino Manoel dos Reis e Euzébio, "Honra ao Mérito". Embalado pelo samba de Alvaiade e Ventura, o desfile da Portela caiu mais uma vez nas graças do jurí. Era o sétimo título seguido, dos nove até então conquistado pela Portela, um feito que até hoje, mais de 60 anos depois, ainda não foi igualado por nenhuma escola do carnaval carioca!

Salve Alberto Santos Dumont
Denominado Pai da Aviação
Suas glórias imortais
Salve o filho de Minas Gerais

Nesse país glorioso
Tudo encanta, tudo seduz
Alberto Santos Dumont
Com sua invenção primeira
Asas, asas brasileiras


Pra fechar, segue o Hino da Portela, de Chico Santana, do disco "A Vitoriosa Escola de Samba Portela" de 1957:



Portela
Suas cores tem
Na bandeira do brasil
E no céu também

Avante portelense para a vitória
Não vê que o teu passado é cheio de glória
Eu tenho saudade
Desperta oh! grande mocidade

As suas cores são lindas
Seus valores não têm fim
Portela querida
És tudo na vida pra mim.

4 comentários:

SAMBA disse...

bom amigão baixa ae é
http://www.divshare.com/download/12071274-e73

é do album da portela de 1957
é o hino da portela
raridade flw

Vinicius disse...

Valeu pela lembrança, eu tenho esse disco, mas não lembrava... Vou trocar lá!
Abraço

Carlos Bacelar disse...

No filme Natal da Portela, se não me engano, após o episódio com Cartola e Heitor, a escola sai cantando "Sai pra lá brocoió". Achei que o samba daquele ano foi esse. Mas foi mesmo o do Chatim, então?

Abs.

Vinicius Leandro Terror disse...

Carlos, essas informações muitas vezes são confusas mesmo. Vejo algumas possibilidades:

Uma das informações pode estar errada mesmo. Confio mais na do texto acima que na do filme.

Muitas vezes as escolas saiam com mais de um samba e pode ser esse o caso...

Pode ser também que na cena do filme era apenas um "esquenta" pro desfile.

Ou pode ser que no filme não se preocuparam muito com a fidelidade dos fatos e colocaram o "sai pra lá brocoió" aleatoriamente...